BRASIL CENTRAL

Estados discutem projetos de infraestrutura e logística


A A

- Foto por: Assessoria

Membros do Conselho de Administração do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central se reuniram nesta quinta-feira (03.03), em Goiânia (GO), para debater o desenvolvimento de projetos nas áreas de infraestrutura, logística, educação e planejamento estratégico.Esta foi a primeira reunião de 2016 do grupo, que é composto por representantes dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia, Tocantins e Distrito Federal.

Renato Casali Pavan, da Consultoria Macrologística, apresentou os projetos Centro Oeste Competitivo e Norte Competitivo, cuja finalidade é definir o planejamento estratégico da infraestrutura de transporte e logística de cargas das regiões em questão.

Os estudos demonstraram a importância da priorização dos projetos para alcançar os resultados pretendidos com o máximo de economia e devem servir de base para o Brasil Central. A intenção é atualizar esses estudos focando na região do Brasil Central e ampliá-los para um projeto de desenvolvimento estratégico da região, levando em consideração questões como micrologística de transporte, matriz energética, telecomunicação e tecnologia de informação, segurança hídrica, capacitação do capital humano e desenvolvimento industrial.

“O fundamental é identificar os setores prioritários de desenvolvimento e determinar o que é preciso ser feito em termos de investimentos estruturantes,de forma a permitir a inserção de um Estado competitivo nacional e internacionalmente”, afirmou o secretário de Assuntos Estratégicos, Gustavo de Oliveira, que representou o Governo de Mato Grosso no encontro.

Na sequência, economistas da Faculdade Alfa apresentaram estudo sobre as taxas de juros praticadas no Brasil e os impactos nos Estados. Ao contrário do Brasil, países como Estados Unidos, Espanha e México não adotam a política de aumentar as taxas de juros para controlar a inflação.

Na ocasião, foram apresentados indicadores que, na avaliação dos economistas, comprovam que a política econômica adotada pelo Governo Federal está travando o desenvolvimento econômico do país. Na área imobiliária, por exemplo, a cada 100 imóveis comprados em 2015, 45 foram devolvidos.

“Além de não conseguir frear o efeito inflacionário, a política econômica baseada em altas taxas de juros onera muito os estados, os municípios e a própria União. Isso tem funcionado como um grande ralo de dinheiro público e também como freio da atividade econômica. O Brasil precisa fazer suas reformas estruturantes para que possa praticar taxas de juros menores, sem afugentar o capital estrangeiro”, avaliou o secretário Gustavo de Oliveira.

Indicadores estratégicos da região do Brasil Central também foram debatidos durante a reunião do Conselho de Administração. A região representa 25% do território nacional e possui 9% da população brasileira vivendo em seus estados e municípios. Além disso, concentra 10% do PIB nacional e representa 14% do volume de exportações do país.

O Brasil Central é também a região que apresenta o maior saldo comercial, porém indicadores como desigualdade de renda, qualidade das rodovias e déficit habitacional ensejam atenção.

“A sugestão debatida pelo Conselho de Administração do consórcio é de utilizar como referência as experiências exitosas dos estados que apresentam melhores indicadores para replicá-las nos outros estados e garantir o avanço da região de maneira mais homogênea”, afirmou Gustavo de Oliveira.

Escritório de projetos

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central está avançando na estruturação de um escritório de projetos, que deverá atuar principalmente na área de logística, contribuindo para o desenvolvimento e conclusão de obras importantes, como o VLT de Cuiabá e Goiânia.

Educação

No dia 22 de março, o consórcio Brasil Central promoverá um evento de tutoria pedagógica com o objetivo de iniciar a elaboração de um plano de trabalho na área da educação, a ser implementado nos estados membros.

Fórum de Governadores

Nesta sexta-feira (04.03), os governadores Pedro Taques (MT), Marconi Perillo (GO), Rodrigo Rollemberg (DF), Confúcio Moura (RO), Marcelo Miranda (TO), e Reinaldo Azambuja (MS) participam do 7º Fórum de Governadores do Brasil Central.

Na oportunidade, os chefes dos executivos estaduais darão continuidade às discussões iniciadas na quinta-feira (03.04) e avançarão em outros temas, como as oportunidades de investimentos e cooperação com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).



Fonte: Renata Neves | Seplan-MT
Imprimir